A equipe do Corinthians conquistou no último sábado, 16 de novembro, o Free Fire World Series 2019, campeonato mundial de Free Fire, sediado na Arena Carioca 1, no Parque Olímpico, Rio de Janeiro.

O Timão levantou a taça após protagonizar uma virada histórica em cima dos russos da Sbornaya ChR, que até a penúltima queda estavam dominando a série melhor de oito.

Um dos destaques do Corinthians ao longo da competição foi Genildo “Japa”, que também se desempenhou muito bem nas finais da 3ª temporada da Pro League na última temporada.

Mais tímido e contido em comparação aos seus companheiros de equipe, Japa às vezes passa despercebido nas coletivas de imprensa, mas dessa vez abriu o seu coração e conversou conosco sobre o Mundial, a emoção de ser campeão e a sua história de vida.

Japa durante o Free Fire World Series 2019

DJ Alok, Mano Brown e MC Jottapê na abertura do evento

A abertura do Mundial de Free Fire na Arena Carioca foi ao som de MC Jottapê, Mano Brown e Alok. Os jogadores sabiam de algumas coisas, mas também foram surpreendidos por grande parte das atrações. Ao som de “Vale Vale”, música-tema que o DJ brasileiro produziu para o evento, as equipes foram entrando uma à uma, recebendo o carinho de toda a torcida presente.

Ninguém esperava, quando começou a rolar a abertura, todos os jogadores vieram ver um telão atrás do palco, lotou. Uma abertura com Alok, Brown e Jottapê é uma vez na vida, uma coisa inexplicável, não dá para perder“, comentou Japa, sem conseguir conter a animação por relembrar o momento.

Por conta da estrutura, apresentação e especialmente pelas ótimas partidas dos times, o evento teve um pico de mais de 1,3 milhão de espectadores simultâneos, o que coloca o Free Fire entre os grandes do cenário não só brasileiro, mas mundial.

Substituições necessárias

As primeiras quatro partidas do Corinthians no World Series foram bastante proveitosas e o time paulista só não disparou na liderança porque acabou ficando em segundo lugar por duas vezes e precisou lidar com o início impressionante protagonizado pelo time russo.

Um dos representantes pela boa campanha do SCCP foi justamente o Japa, que chegou a ser coroado o melhor jogador da segunda partida, na qual agregou com bons abates e muito dano nos adversários.

Quando o caldo começou a entornar, no entanto, Japa acabou sendo substituído pelo Pires, que entrou jogando muito e ajudou o Corinthians a gritas os dois BOOYAHS que sagraram o time brasileiro como campeão do mundo.

Japa avaliou positivamente a substituição e admite que o seu técnico tomou a decisão correta, afinal, ele já não estava em um bom momento, especialmente emocional:

Aqui a gente é uma família e o treinador decide quem vai jogar de acordo com o momento. Naquela hora o time estava para baixo, eu não estava tão bem e o Pires entrou com pensamento de campeão, dizendo que íamos ganhar as duas partidas e levar o troféu“, contou o jogador.

Jogar no dia a dia é bem mais fácil que aqui na Arena, a galera começa a gritar, dá um frio na barriga e se você começa a errar só piora. Independente de quem for jogar, o importante é trazer o troféu, se um ganha, a equipe toda ganha“, completou Japa, que no momento estava coberto com a bandeira do Corinthians nas costas.

Pires, no destaque, foi decisivo nas duas últimas quedas do Corinthians na final

Futuro da equipe

O time de Free Fire do Corinthians é um projeto de longo prazo. Com pouco mais de dois meses sob o nome do gigante paulista, os garotos ex-Bando de Loucos já conquistaram uma Pro League e um título mundial.

Segundo Japa, a decisão de continuar junto independia dos resultados de sábado, muito por conta da confiança que os jogadores têm um nos outros, o clima não poderia ser melhor.

A gente já era amigo antes de formar o time, morar junto só melhorou a nossa relação. Na casa todo mundo brinca um com o outro, confia um no outro, virou uma família, fez aproximar mais ainda. Independente do resultado aqui, a gente ia continuar junto“, afirmou.

Minutos antes, na coletiva de imprensa, o treinador Luciano Fausto, mais conhecido como Chefe XL, também garantiu a permanência da equipe, comentando que o objetivo agora é conseguir se manter no topo, o que é até mais difícil do que chegar lá. Em seguida, Samuel “Level Up” o completou, afirmando que após o período de comemorações, a rotina de treinos vai voltar ao normal para que nenhum time consiga alcançar o Coringão no topo.

Após provar o seu potencial com dois títulos conquistados no período de uma semana, o Corinthians deve ser o time a ser estudado para a próxima temporada, tanto por brasileiros quanto por estrangeiros.

Quando a gente anunciou que ia fazer parte do Corinthians, muitos times disseram que éramos time de mídia, mas agora eles viram que merecemos estar aqui. Acho que vão estudar muito mais a gente e as próximas finais da Pro League e o Mundial vão ser muito mais difíceis, mas vamos treinar bastante para chegarmos lá preparados“, disse Japa, exalando confiança.

Corinthians deve permanecer o mesmo para a 4ª temporada da Pro League

Família é a base de tudo

Um dos grandes desafios para os jogadores profissionais de Free Fire no início da carreira é conseguir o apoio da família. Dedicar-se ao jogo muitas vezes significa abrir mão de tempo para estudos ou trabalho, o que quase sempre não agrada os responsáveis. Entretanto, tudo costuma mudar após a entrega de resultados.

Eu tenho família aqui no Rio de Janeiro e eles estavam ai, na Arena, assistindo, mas a maioria é da minha cidade lá na Paraíba. Eles também estavam assistindo, inclusive gravaram um vídeo e me mandaram“, comentou Japa.

Com o título do campeonato, o esquadrão alvinegro levou para casa o prêmio de 200 mil dólares, mais de 800 mil reais na cotação atual do dia 18 de novembro de 2019. Japa vê a sua família como prioridade a primeira coisa que fará com o prêmio é ajudar os seus familiares, em especial o seu irmão mais novo.

Na minha família sou só eu, meu irmão mais novo e minha mãe, perdi o meu pai muito cedo. Eu cresci vendo meu irmão querendo ter um celular, ganhar algumas coisas que eu tinha por ser mais velho, e não podia. Eu quero ver ele muito feliz e com muitas oportunidades, então eu vou ajudar muito ele“, disse Japa bastante emocionado e com os olhos marejados.

Arena Carioca lotou para receber o Free Fire World Series 2019. Além dos torcedores, familiares dos jogadores também marcaram presença na plateia

Entrevista: Daniel Esdras
Texto: Gabriel Reis
Fotos usadas no texto: Bruno Alvares e César Galeão