20 perguntas com” é uma série de matérias que serão publicadas no site da Free Fire Pro League. O objetivo das entrevistas será aproximar cada vez mais o leitor dos seus jogadores e criadores de conteúdo favoritos.

Hoje vocês conhecerão um pouco mais o astro Everton “UBiTa“, campeão da 2ª temporada da Free Fire Pro League pela paiN Gaming e eleito o melhor jogador da competição.

Em setembro, ele embarcou em Bangkok, na Tailândia, ao lado de outros cinco influenciadores (Samuel “Level Up“, Daniel “Pfonn“, Ernani “Weedzao“, Bárbara “Babi” e Carolina “Voltan“) para representar a região brasileira no Free Fire Streamers Showdown, que reuniu grandes nomes dos principais servidores do mundo.

O esquadrão, que trouxe o título para casa, teve UBiTa como um dos principais destaques nas partidas.

UBiTa é um dos principais nomes da paiN no Free Fire (Foto: Reprodução/paiN Gaming)

Confira o 20 perguntas com: UBiTA – o melhor jogador de Free Fire do Brasil:

Nome completo?
– Everton Lima dos Santos.

Idade?
– 19 anos.

Cidade natal?
– Caxias, Maranhão.

Mãe e pai?
– Rosemar e Marcos.

Faculdade?
– Pensei sobre, mas eu não sabia o que queria cursar.

Como conheceu o Free Fire?
– Eu sempre gostei muito de assistir vídeos no YouTube e acompanhava bastante o Bruno PlayHard. Uma vez eu vi ele jogando (Free Fire) e resolvi baixar.

Já acompanhava o cenário de esports antes?
– Sim, eu acompanhava outros jogos mobile.

Porque “UBiTa”?
– Isso é segredo (risos).

Quando você percebeu que estava ficando conhecido?
– Quando comecei a me destacar nos campeonatos.

Pensou que chegaria tão longe por causa do Free Fire?
– Eu sempre quis ser jogador profissional, mas nunca pensei que chegaria aonde eu cheguei por causa desse jogo.

Como é representar uma das maiores organizações de esports da América Latina?
– Somos mais que uma organização, somos uma família. É gratificante fazer parte de tudo isso e pretendemos fazer história juntos.

O número de pessoas engajadas com o Free Fire é impressionante para você?
– Eu acho absurdo o tamanho do público que acompanha o Free Fire. Toda vez que eu, meus companheiros de equipe e outras pessoas conhecidas vamos para algum lugar, somos reconhecidos. Fora que sempre tem alguém que está jogando, né? (risos).

O que a sua família acha da sua profissão?
– Foi complicado no começo, fui muito criticado por causa das minhas decisões e eles não acreditavam em tudo, mas hoje eles entendem e aceitam o que eu faço.

Já pensou em deixar de ser jogador profissional e focar na criação de conteúdo?
– Minha vontade é conseguir fazer as duas coisas e não precisar largar uma para focar na outra.

Defina a sensação de representar o país internacionalmente e ainda trazer o título para casa.
– Muito gratificante e tenho certeza que foi apenas o começo de tudo!

Inspirações?
– Minha inspiração é Bruno PlayHard.

E o seus maiores sonhos?
– Meu sonho é ser um exemplo para que as pessoas possam se espelhar em mim para seguirem os seus sonhos, lutarem por aquilo que amam e nunca desistirem.

Momento mais feliz da sua carreira?
– Foi quando meus pais reconheceram e aceitaram a minha profissão.

Momento mais triste?
– O início de tudo, todas as dificuldades e os problemas que (eu e meus colegas de equipe) enfrentamos para chegarmos até aqui.

Mensagem para os seus fãs?
– Desistir? Jamais! Persistam nos seus sonhos mesmo que encontrem dificuldades pelo caminho, continuem correndo atrás até que o sonho seja realizado. Um campeão é aquele que consegue superar as dificuldades que encontra pelo caminho e continua lutando pelo seu sonho!


Redes sociais do UBiTa: Facebook // Instagram

Leia outros “20 perguntas com”: