Texto por: Felipe “Felpy” e Gabriel Reis

Definidos os times que disputarão a final da 3ª temporada da Free Fire Pro League, é hora de conhecermos mais a fundo um por um dos finalistas que estarão no Rio de Janeiro no dia 9 de novembro para brigar pelo título e pelas duas vagas no Mundial, que também será sediado em terras cariocas.

Hoje é dia de falar sobre a LOUD, segunda colocada do Grupo B com 2905 pontos. Em números, a LOUD terminou a fase regular como a equipe mais sangrenta do seu grupo, somando um total de 69 eliminações (1380 pontos) ao todo.

Partindo para os pontos por colocação, a equipe marcou 1525 pontos e conseguiu duas vitórias nas 12 quedas disputadas.

1º BOOYAH da LOUD na 3ª temporada da Free Fire Pro League
2º BOOYAH da LOUD na 3ª temporada da Free Fire Pro League

Renovação e mudanças no estilo de jogo

Depois de amargar a 8ª colocação na segunda temporada da FFPL, a LOUD passou por mudanças que impactaram bastante no seu desempenho dentro de jogo.

Coringa e Mob foram removidos da formação principal e abriram espaço para a chegada de ShariiN e Will, que passaram a atuar ao lado de Vinizx e Bradoock, remanescentes da escalação anterior.

Leia também: Entrevista: “A torcida da LOUD é a maior, não tenho dúvidas”, afirma ShariiN

Mudando as peças do seu time, a LOUD também mudou o seu estilo de jogo, que antes era mais voltado para a sobrevivência, sem muitas brigas envolvidas. Embora atuar assim funcionasse em Bermuda, o resultado adquirido em Purgatório não era satisfatório.

Shipyard (Bermuda) e Crossroads (Purgatório) são os pontos fixos de queda da nova LOUD, que passou a rotacionar antecipadamente, buscando sempre o centro da zona segura e o avanço sobre os seus oponentes.

Elenco e número de abates conquistados na fase regular:

  1. Bradoock – 21 eliminações
  2. Vinizx – 20 eliminações
  3. ShariiN – 15 eliminações
  4. Will – 13 eliminações

Considerações finais

Dona de uma das maiores torcidas no competitivo de Free Fire, a LOUD realmente fez barulho durante a fase de grupos da 3ª temporada.

O esquadrão, que jogava pela sobrevivência, notou suas habilidades e começou a dar prioridade para um jogo mais agressivo, recheado de abates.

Contestar uma construção que o seu inimigo está tomando conta não é algo simples de operar no Free Fire, entretanto, em diversos momentos na fase regular, a LOUD fez parecer fácil lidar com tais situações, apresentando uma execução perfeita e carregada de sinergia.

Tudo isso, somado à técnica de rush de Vinizx e Will, mais a forma como ShariiN se movimenta pelo mapa, fazem da LOUD uma equipe que entrará forte na briga pelo título no próximo sábado (9).


Leia também sobre os outros finalistas: