Texto por: Felipe “Felpy” e Gabriel Reis

Definidos os times que disputarão a final da 3ª temporada da Free Fire Pro League, é hora de conhecermos mais a fundo um por um dos finalistas que estarão no Rio de Janeiro no dia 9 de novembro para brigar pelo título e pelas duas vagas no Mundial, que também será sediado em terras cariocas.

A equipe da vez é a W7M Gaming, que chegou embarcou no Free Fire adquirindo a formação ex-Lendários, composta por A Lenda, Nephiro, Topete, Lukas e Nobzero.

A atual W7M, que também disputou a final da 2ª temporada, se classificou para a sua segunda decisão como terceira colocada do Grupo C com 2460 pontos. A equipe fechou a fase regular com 59 eliminações e duas vitórias em quedas.

1º BOOYAH da W7M Gaming na 3ª temporada da Free Fire Pro League
2º BOOYAH da W7M Gaming na 3ª temporada da Free Fire Pro League

Experientes, os ex-Lendários mantiveram o estilo de jogo apresentado na última edição. Diferente das outras equipes analisadas até aqui, o esquadrão em questão foca mais na sobrevivência e nos pontos por colocação, evitando conflitos até o final da partida.

De olho nos mapas

A antiga Lendários adotou a região de Peak como a sua área fixa de quedas em Bermuda. É um local fortíssimo de se conquistar pela sua localização centralizada na ilha principal, o que facilita toda e qualquer tipo de rotação.

Por outro lado, o esquadrão não possui um ponto de queda fixo em Purgatório. A opção explorada no início do campeonato foi a região de Brasília, mas a equipe acabou enfrentando alguns problemas e optou por migrar para Central e Gold Curse. Campsite também aparece como opção quando o plano é executar um jogo mais seguro.

Elenco e número de abates conquistados na fase regular:

  1. Lukas – 18 eliminações
  2. Nephiro – 18 eliminações
  3. Topete – 9 eliminações
  4. A Lenda – 7 eliminações
  5. Nobzero – 7 eliminações

Considerações finais

A antecipação da safezone e o posicionamento durante as partidas são as principais qualidades do time da W7M Gaming. A equipe, no entanto, precisa trabalhar mais no quesito eliminações.

O nível da FFPL está alto e são muitos os times que abusam da agressividade e encerram suas quedas com milhares de pontos de abates. Ligados nisso, os Bulls precisarão aperfeiçoar suas habilidades de luta caso queiram bater de frente com os gigantes da Pro League.


Leia também: