Texto por: Felipe “Felpy” e Gabriel Reis

Definidos os times que disputarão a final da 3ª temporada da Free Fire Pro League, é hora de conhecermos mais a fundo um por um dos finalistas que estarão no Rio de Janeiro no dia 9 de novembro para brigar pelo título e pelas duas vagas no Mundial, que também será sediado em terras cariocas.

Hoje nós vamos analisar um nome já conhecido no cenário de Free Fire, a RyZe xCry, quarta colocada do Grupo C com 2325 pontos. Habilidosa e experiente, a equipe se classificou em meio a grandes nomes da competição e acabou passando despercebida por muitos.

Com rotações inteligentes e uma série de vitórias em cima da líder e favorita B8, a equipe chega nas finais da 3ª temporada com 56 eliminações, um BOOYAH e apenas uma queda sem ter garantido pontos de abates.

BOOYAH da RyZe xCry na fase de grupos da 3ª temporada da Free Fire Pro League

É a segunda vez que a organização disputará uma final de FFPL. A primeira vez foi na 2ª temporada, quando ainda carregavam o nome de ‘RyZe United’. Durante a etapa anterior, a equipe terminou a fase de grupos na primeira colocação do Grupo B, mas amargou a sétima posição na final presencial.

HENESSY, destaque da equipe na fase de grupos da segunda temporada com 19 eliminações, foi movido para o banco de reservas e substituído por Avenged nesta temporada. O novo reforço se uniu a Roff, ImJouh e Solotov, que já faziam parte do elenco.

De olho nas quedas

Purgatório, onde a RxC mantém queda fixa em Marbleworks, é o mapa onde o quarteto melhor se desempenha.

Bermuda, por sua vez, é um dos problemas que cerca o time. Lá, a RyZe ficou abaixo da 9ª colocação em três das quedas disputadas ao longo da fase regular e conseguiu se firmar no Top 3 em apenas uma delas.

Elenco e quantidade de abates conquistados ao longo da fase regular:

  1. ImJouh – 16 eliminações
  2. Solotov – 16 eliminações
  3. Roff – 12 eliminações
  4. Avenged – 12 eliminações

Considerações finais

O bom desempenho em Purgatório foi o que sustentou a RyZe xCry entre as quatro melhores equipes do seu grupo. As finais presencias acontecem em um dia único, ou seja, a equipe entra na disputa apostando nos bons desempenhos de ImJouh e Solotov para dominar as quedas em seu melhor mapa e conseguir o maior número de pontos possíveis para quem sabe surpreender em Bermuda.


Leia também: