20 perguntas com” é uma série de matérias que serão publicadas no site da Free Fire Pro League. O objetivo das entrevistas será aproximar cada vez mais o leitor dos seus jogadores e criadores de conteúdo favoritos. O convidado da semana é Lúcio “Cerol”, que recentemente deixou a Los Grandes para integrar o time de Free Fire do Corinthians. Cerol conta com mais de1,75 milhão de inscritos em seu canal do YouTube e é um dos criadores de conteúdo mais exaltados pelo público.

Cerol é um dos criadores de conteúdo do Corinthians Free Fire (Foto: Arquivo pessoal)

Confira o 20 perguntas com: Cerol – “O BAGULHO É DOIDO, SÓ CAPA”:

Nome completo?
– Lúcio dos Santos Lima.

Idade?
– 26 anos.

Cidade natal?
– Rio de Janeiro.

Pai e mãe?
– Paulo e Leia.

Já fez faculdade ou teve vontade de fazer em algum momento?
– Já fiz faculdade, sou formado em Gestão Pública. 

Como conheceu o Free Fire?
– Eu queria me aproximar mais dos meus amigos e o Free Fire acabou sendo a melhor forma. 

Por que “Cerol”?
– “Vou passar o cerol”, foi dessa frase que resolvi adotar o nick “Cerol Finin”, que eu usava em outros jogos antes de começar a jogar Free Fire. Quando eu migrei para o FF, criei meu canal no YouTube e acabei ficando só com o “Cerol”. 

Já acompanhava o cenário de games/esports antes?
– Sim, sempre gostei de jogos online, eu jogava muito por diversão.

Quando você percebeu que estava se tornando uma figura pública, alguém conhecido?
– Quando eu fui ao shopping e algumas pessoas me pararam para tirar fotos comigo.

Imaginou que chegaria tão longe por causa do Free Fire?
– Para falar a verdade, eu nem sei como eu cheguei até aqui. Em momento nenhum eu imaginei que fosse possível realizar todos os meus sonhos através de um jogo. Pensei que estava perdendo o meu tempo, quando na verdade estava garantindo o meu futuro. 

Qual a opinião da sua família com relação a tudo isso?
– Eles me apoiam hoje, mas no começo, acho que família nenhuma apoia uma pessoa que fica o dia todo jogando. Imagine só, eu, com 26 anos, dentro de um “joguinho” o dia todo… era taxado de “vagabundo” na certa (risos). 

Qual foi a sua reação quando te convidaram para fazer parte do projeto do Corinthians no Free Fire?
– Eu fiquei eufórico, imagina ai, uma pessoa de 26 anos, cheia de sonhos, que no passado estava desesperada com o que ia fazer da vida e acabou no Free Fire, criou um canal que fez sucesso e sempre teve o apoio das pessoas, recebe o convite para fazer parte da história de um time de futebol… é realmente inacreditável, às vezes eu ainda acho que tudo isso é um sonho.

Inspirações?
– Minha maior inspiração é a vontade de ter uma vida boa e proporcionar tudo do bom e do melhor para toda a minha família. 

Já pensou em deixar de lado a criação de conteúdo e focar no profissional?
– Eu, como streamer, também me considero um jogador profissional, mas o meu foco é entregar alegria (além de uma gameplay impressionante) para as pessoas. Eu fico muito feliz pela quantidade de pessoas que se inspiram na minha pessoa por eu ser quem eu sou e não pelo simples fato de que eu jogo bem. 

E os seus maiores sonhos? Quais são?
– Meu maior sonho relacionado ao Free Fire é sempre entregar o que as pessoas esperam de mim. Muitas vezes eu não sei como fazer isso, porém trabalho duro todo dia para agradar e motivar as pessoas, para que elas saiam da inércia e corram atrás dos seus objetivos, independente de quais sejam.

Já fora do jogo, meu sonho sempre foi poder desfrutar das coisas boas da vida junto com a minha família, com saúde. Eu não quero ser esquecido, quero ser uma pessoa da qual as outras sempre terão orgulho. “Seja a mudança que você quer ver no mundo”.

Já pensou em desistir alguma vez?
– Nunca! Eu não sou do tipo de cara que desiste de algo. Não pergunte se sou capaz, apenas me dê a missão e ela será cumprida, esse é o meu jeito (risos). 

Qual o momento mais feliz da sua carreira?
– Está sendo agora com tudo o que eu estou vivendo, mas fiquei muito feliz quando eu atingi um milhão de inscritos no meu canal do YouTube, chorei feito criança.

E o mais triste?
– Foi quando o meu canal foi deletado sem motivo, eu tinha mais ou menos 500 mil inscritos. Fiquei sem chão, sem saber o que fazer.

Como é representar um clube de futebol no Free Fire?
– Imagina você jogando a Champions League, 45 minutos do segundo tempo, você dá uma caneta no Messi, um chapéu no Neymar, uma caneta no goleiro e mete um golaço. Conseguiu imaginar? É exatamente assim que eu me sinto! Meu objetivo agora é manter a responsabilidade e trabalhar duro para representar o Corinthians da melhor forma possível.

Corinthians embarcou no Free Fire com a equipe ex-Bando de Loucos (Foto: Reprodução/Corinthians Free Fire)

Quer deixar uma mensagem para os seus fãs?
– Sim, nunca desistam dos seus sonhos. Eu sempre tive um sonho, sempre lutei e falava para as pessoas que um dia eu iria realizar ele. Hoje eu me sinto realizado e por mais que tudo dê errado na sua vida, saiba que você não está sozinho, você é o seu maior amigo e se não desistir de si mesmo, certamente vai chegar a sua hora de brilhar.

Obrigado a todos que me ajudaram a realizar o meu sonho, sempre estarei aqui torcendo por vocês também! O BAGULHO É DOIDO, SÓ CAPA!

Encontre o Cerol nas redes sociais: Instagram | YouTube | Nimo