Enquanto 36 equipes brigavam pelas nove vagas rumo às finais da segunda temporada da Pro League de Free Fire, três times assistiam de camarote à essa disputa. Por serem os melhores classificados da primeira season, tanto RED Canids, Vivo Keyd e INTZ já estavam com passagem carimbadas para a etapa decisiva de agora.

A RED Canids é a atual campeã da Pro League. Naquela edição, a line-up ainda defendia a TROPA M3C. Ao lado da vice-líder Vivo Keyd, que tinha os pro players ainda atuando pela GP VETERANOS, as duas equipes representaram o Brasil no mundial de Free Fire que ocorreu em abril deste ano, na Tailândia.

A RED Canids não teve um bom desempenho mesmo chegando com a moral de ser campeã brasileira. A equipe só foi se soltar no campeonato já nas últimas quedas e acabou apenas na décima posição. Como alívio, porém, a RED Canids conseguiu deixar a lanterna do torneio mundial bem na última queda pelo menos.

Antes pela TROPA M3C, a line-up da RED Canids foi campeã da primeira temporada da Pro League (Foto: Leo Sang/BBL)

Quem chegou com chances reais de título na reta final foi a Vivo Keyd. Acontece que o time foi o quinto a ter sido eliminado na ocasião e não conseguiu somar pontos suficientes para trazer o caneco para o Brasil.

Mesmo assim, Krontos foi premiado como o MVP da competição – sendo, inclusive, o jogador que mais trouxe abates no mundial.

Título de honra: Brasil pelo menos levou o prêmio de MVP pra casa com Kronos (Foto: Reprodução/Garena Free Fire)

A INTZ só pôde ver de longe os confrontos na Tailândia. Os Intrépidos apresentaram uma evolução muito significativa na reta final da fase regular da Pro League e chegaram com muita moral à etapa presencial. O emocional, porém, pesou e a equipe não sustentou a vaga para o mundial – deixaram escapar bem na última queda, caindo para terceiro lugar.

INTZ apresentou evolução na metade final da fase de grupos, mas ficou fora da zona de classificação (Foto: Saymon Sampaio/BBL)