A Pro League de Free Fire, enfim, chegou ao momento decisivo. Das 36 equipes participantes, apenas 12 continuaram vivas após muito tiro, porrada e bomba.

Agora é o momento de protagonismo tendo em vista o que está em jogo: duas vagas para o mundial da categoria na Tailândia. Os confrontos presenciais da Pro League ocorrerão já nesse próximo final de semana, dias 16 e 17 de março.

A trajetória dos classificados contou com fortes emoções, a começar pelo…

GRUPO A

É o grupo que teve a dominância de duas equipes analisando o Top-4, isso porque STARS e Kingzone dispararam na parte de cima da tabela e deixaram a concorrência comendo poeira.

Líder isolada com 3605 pontos, a STARS levou quatro quedas das 12 que contemplaram a fase de grupos – e quando não vencia, quase sempre figurava no pelotão de cima. A equipe mostrou à que veio já com duas vitórias somadas logo nos dois primeiros games da rodada inicial.

FIXA foi o principal jogador e quem mais chamou kills: foram 28 abates ao decorrer da fase de grupos, mas sempre acompanhado de 01pires – que tem 22 eliminações.

Mas se levarmos em consideração o poder de fogo, a Kingzone, segunda colocada, é quem mais chama a atenção. Enquanto a STARS somou 1400 pontos nesse quesito, com 70 abates, a Kingzone massacrou os adversários gerando incríveis 1740 pontos com 86 kills.

O estilo agressivo se deu por conta de TR UBITA, que é o jogador com mais eliminações realizadas ao decorrer da fase de grupos: foram 32 abates. O caminho da matança foi a estratégia adotada pela Kingzone para se consolidar no Top-2 com 3570 já que venceu apenas uma queda.

A terceira colocada Los Maníacos soube distribuir bem os abates – com exceção de jakelinebeni que não matou ninguém. De resto, foi um time bastante equilibrado em kill points e que contou com as Semanas #1 e #2 para praticamente assegurar a classificação para a etapa presencial.

Equilíbrio que a TROPA M3C não apresentou nas três semanas de jogos, variando bastante no desempenho das 12 quedas realizadas. O time venceu dois games, mas teve muitos momentos que figurou na parte de baixo das partidas. MF lovers e STS Finnaker foram fundamentais para a classificação, com, respectivamente, 14 e 12 abates.

GRUPO B

A GPS VETERANOS se encontrou na parte final da fase de grupos, quando buscou muito fôlego para não só entrar no Top-4, mas como encerrar a etapa como líder. O time não figurava no pelotão de cima até a Semana #3, o que surpreendeu muita gente.

A evolução foi evidente, ainda mais após uma rodada inicial na qual a GPS VETERANOS teve como ponto alto apenas o quarto lugar na última queda daquele final de semana. Pela Semana #2, o time até conseguiu uma vitória, mas continuou com performance irregular – o que mudou significativamente para a Semana #3.

No último final de semana, apavoro total: duas vitórias e dois Top-5 que puxaram a GPS VETERANOS da sexta colocação para a liderança.

A maior surpresa do grupo, porém, foi a Cangaceiros. A equipe chegou na rodada final apenas na 11ª colocação e contou com um desempenho avassalador para saltar até a vice-liderança.

A classificação dramática veio por conta da performance muito abaixo da Semana #2 em comparação à Semana #1: na estreia, a Cangaceiros somou 700 pontos, com direito a vencer ainda a primeira queda da noite; mas no final de semana seguinte houve uma queda muito significativa, quando fez apenas 225 pontos.

A redenção veio na Semana #3, quando o time acordou e somou 1415 pontos, pulando para a segunda colocação. O ótimo desempenho passou pelas mãos de athusc, ARIELC e DIORI, que chamaram a responsabilidade e fizeram muitos abates naquele final de semana.

Terceira colocada, a equipe OS CLANDESTINOS sempre figurou na parte de cima do grupo graças às boas performances nas duas primeiras semanas. Acontece que pela Semana #3 o time foi bem apático, quando ficou até em último numa queda, mas chamou um segundo lugar para carimbar passagem pra etapa presencial.

Etapa presencial que a Cães de Guerra quase deixou escapar também. Após encerrar a estreia da Pro League como segunda colocada do grupo, a equipe não performou tão bem na Semana #2 e se viu fora do pelotão de acesso naquele momento. Na rodada decisiva, o time buscou forças para se manter no Top-4 em três quedas e, assim, se classificar.

GRUPO C

Trata-se do grupo que tem o maior favorito para a etapa presencial, isso porque a FantasyDeath demonstrou uma performance avassaladora de início ao término da fase de grupos. A equipe não teve ameaçada a liderança em nenhum momento.

Mesmo não jogando a primeira queda da rodada inicial, a FD simplesmente destruiu nos games seguintes daquele final de semana: ao todo, 1310 pontos somados. Na Semana #2, o estrago foi maior: 1610 pontos. Já na rodada decisiva, o time tirou um pouco o pé do acelerador, mas ainda assim não viu ninguém no retrovisor.

A FantasyDeath venceu pelo menos sempre uma queda em todas as semanas de confrontos, o que gerou um alto ranking points. Além disso, foi a segunda equipe que mais matou ao todo na competição, com 70 abates – e muito graças à dupla SharriiN e DRZZY.

Em segundo lugar aparece a INTZ, que apresentou evolução muito evidente ao decorrer das três semanas da fase de grupos para carimbar passagem para a fase decisiva. A equipe sempre figurou na parte de cima da tabela, estando em quarto lugar ao término das Semanas #1 e #2.

Até essa altura do campeonato, a INTZ não havia vencido nenhuma queda, mas se mostrou muito consistente nos games. O equilíbrio foi fundamental para o time chegar na última semana e dar o bote certeiro: vitória logo na primeira queda, o que deu maior tranquilidade para administrar a boa classificação geral nos games seguintes.

Na queda campeã inclusive, a INTZ apresentou performance bem mais agressiva, quando conseguiu o seu maior número de abates de toda a primeira fase com 13 kills. Em meio a essa regularidade do time, INTZ L7 é quem mais se destaca.

Enquanto isso, a The Brothers teve uma trajetória bem sólida até a etapa presencial. O time assumiu a vice-liderança desde a estreia e só foi perder o posto na Semana #3, mas por uma diferença de pontos pequena até. A The Brothers venceu sempre uma queda em todo final de semana – e apenas em quatro games não conseguiu ficar no Top-5.

Outra que também sempre esteve no pelotão de cima desde a rodada inicial foi a FalleNs, que sempre esteve em pé de guerra com INTZ e The Brothers ali no Top-3. Ao decorrer das semanas, a FalleNs acabou perdendo a queda de braço, se classificando em quarto lugar. Foi um time, contudo, que apresentou melhora significativa no quesito abates na Semana #3 – o que pode ser sua principal surpresa para o presencial.

Qual é a sua aposta para a fase decisiva da Pro League de Free Fire? Comente na página oficial do Garena Free Fire lá no Facebook!